“Ven Espíritu Santo: llena los corazones de tus fieles y enciende en ellos el fuego de tu amor.”

“Vinde Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo do vosso amor.”

Hno. Mariosvaldo Florentino

Mayo - Viernes 22

Gotas de Paz – 652

Estamos llegando a la fiesta de Pentecostés, con la cual se concluye el tiempo de la Pascua. Desde la resurrección de Jesús, continuamente en las lecturas y en las oraciones la Iglesia nos ha invitado a abrir nuestros corazones, sin miedo, para recibir esta grande gracia: el Espíritu Santo – don de Dios.

Como Dios Padre al inicio del mundo modeló un poco de arcilla y cuando ya estaba lista, sopló en sus narices el halito de la vida, dando origen al hombre, así también Jesús Cristo, con su vida, con sus enseñanzas, con sus milagros, con sus actitudes, con su pascua, fue modelando despacito a la Iglesia, y cuando ya había cumplido su misión, ha encontrado a sus discípulos y “ha soplado sobre ellos, diciendo: Reciban el Espíritu Santo.” (Jn 20, 22) Y la Iglesia empezó a vivir.

Del mismo modo que el hombre al inicio, sin el soplo de Dios, no pasaba de una escultura de arcilla, hasta muy linda pero sin vida, así también la Iglesia, sin el don del Espíritu Santo, no sería nada más que una asociación humana y temporaria, hasta con bellas intención, pero sin esta fuerza sobrenatural que la distingue.

Del mismo modo que el hombre nace del encuentro de estas dos realidades: la terrena y la espiritual (la arcilla y el halito de Dios), también la Iglesia nace de la interacción de la realidad humana de los apóstoles con el Espíritu Santo de Dios. Es por eso que la Iglesia es humana y divina, es pecadora y santa, es realidad concreta y misterio, es esfuerzo y providencia.

Así como nosotros somos una realidad que ultrapasa a todos los animales, y por eso no se puede aplicar a los hombres las reglas simplemente biológicas, porque somos cuerpo y espíritu, también la Iglesia no puede ser entendida o descripta como una organización más entre las otras, porque en ella actúa el Espíritu de Dios. La Iglesia, cuerpo de Cristo, es animada por el Espíritu Santo. De ahí, su capacidad de sorprender, de vencer las pruebas, de actualizarse en la historia.

Cuando los apóstoles recibieron el don de Dios en Pentecostés, empezaron pronto a predicar la Buena Noticia de que la muerta fue vencida, de que Dios es Emmanuel, de que Él está con nosotros y vive y actúa en nuestro medio.

Celebrar Pentecostés es revivir nuestra vocación de ser Iglesia. La acción del Espíritu Santo de Dios no hace a nadie correr lejos del cuerpo de Cristo, más al contrario, nos injerta en él, y allí nos invita a producir muchos frutos.

No debemos pensar en el Espíritu Santo como si fuera un don individualista, que viene a satisfacer solo mis necesidades personales, cuando su misión es preparar a la Iglesia, esposa de Cristo para las nupcias eternas.

Es claro que en esta preparación su acción deberá trasformar personalmente a cada uno de nosotros, ayudándonos a superarnos en nuestras limitaciones, consolándonos en nuestras necesidades, pero no según nuestros proyectos a veces muy mezquinos, sino de acuerdo al sueño de Dios, haciendo de nosotros un pueblo santo, un reino de sacerdotes.

Estimado hermano, por eso es muy importante abrirse al don de Dios. Estar disponible a su acción.

Permitir que él nos trasforme según el modelo: Jesucristo.

El Señor te bendiga y te guarde,

El Señor te haga brillar su rostro y tenga misericordia de ti.

El Señor vuelva su mirada cariñosa y te dé la PAZ.

Hno Mariosvaldo Florentino, capuchino.

Gocce di Pace - 422

In questa domenica celebriamo la festa di Pentecoste con la quale culmina il tempo della Pasqua. Dalla resurrezione di Gesù continuamente nelle letture e nelle preghiere la Chiesa ci invita ad aprire i nostri cuori, senza paura, per ricevere questa grande grazia: lo Spirito Santo - dono di Dio.

Come Dio Padre all'inizio del mondo modellò un po' di argilla e quando questa era pronta soffiò nelle narici l'alito della vita dando origine all'uomo, così anche Gesù Cristo con la sua vita, col suo insegnamento, coi suoi miracoli, coi suoi atteggiamenti, con la sua pasqua, ha modellato pian pianino la Chiesa e quando già aveva compiuto la sua missione ha trovato i suoi discepoli e ha soffiato su di essi dicendo: Ricevete lo Spirito Santo." (Gv 20, 22). E la Chiesa incominciò a vivere.

Come l'uomo all'inizio, senza il soffio di Dio, non era altro che una scultura di argilla, sicuramente molto carina ma senza vita, così, allo stesso modo, la Chiesa, senza il dono dello Spirito Santo, non sarebbe nient'altro che un'associazione umana e temporanea, sicuramente con belle intenzioni, ma senza questa forza soprannaturale che la distingue.

Allo stesso modo in cui l'uomo nasce dall'incontro di queste due realtà, la terrena e la spirituale, l'argilla e il soffio di Dio, anche la Chiesa nasce dall'interazione della realtà umana degli apostoli con lo Spirito Santo di Dio. È per questo motivo che la Chiesa è umana e divina, è peccatrice e santa, è realtà concreta e mistero, è sforzo e provvidenza.

Come noi siamo una realtà che oltrepassa tutti gli animali, e per questo motivo non possono applicarsi agli uomini le regole semplicemente biologiche perché siamo corpo e spirito, anche la Chiesa non può essere capita o descritta come un'organizzazione tra le altre, perché in lei agisce lo Spirito di Dio. La Chiesa, corpo di Cristo, è animata dallo Spirito Santo. Da lì la sua capacità di sorprendere, di vincere le prove, di attualizzarsi nella storia.

Quando gli apostoli ricevettero il dono di Dio nella Pentecoste, incominciarono presto a predicare la Buona Novella che la morte era stata vinta, che Gesù è il Cristo, unico salvatore, che Dio è Emmanuel, il quale significa che Egli sta con noi e vive ed agisce per mezzo nostro.

Celebrare la Pentecoste è rivivere la nostra vocazione di essere Chiesa. L'azione dello Spirito Santo di Dio non fa allontanare nessuno dal corpo di Cristo anzi, al contrario, c'innesta in lui e lì c'invita a produrre molti frutti. Si qualcuno si allontana certamente non è per ispirazione divina.

Non dobbiamo pensare allo Spirito Santo come se fosse un dono individualista che viene a soddisfare solo le mie necessità personali, in realtà la sua missione è preparare la Chiesa, sposa di Cristo, per le nozze eterne.

È chiaro che in questa preparazione la sua azione dovrà personalmente trasformare ognuno di noi, aiutandoci a superarci nei nostri limiti, consolandoci nelle nostre necessità, ma non secondo i nostri progetti che a volte sono molto meschini, bensì d’accordo con la volontà di Dio, facendo di noi un popolo santo, un regno di sacerdoti.

Stimato fratello e sorella, per questo motivo, è molto importante aprirsi al dono di Dio ed essere disponibile alla sua azione.

Permettiamo che egli ci trasformi secondo il modello: Gesù Cristo.

Il Signore vi benedica e vi protegga,

Il Signore faccia risplendere il suo viso su di voi e vi doni la sua misericordia.

Il Signore volga il suo sguardo su di voi e vi doni la sua Pace.

Fra Mariosvaldo Florentino, cappuccino

Gotas de Paz – 612

Estamos chegando à festa de Pentecostes, com a qual se conclui o tempo da Páscoa. Desde a ressurreição de Jesus, continuamente nas leituras e as orações da Igreja nos convidaram a abrir os nossos corações, sem medo, para receber esta grande graça: o Espírito Santo – dom de Deus.

Como Deus Pai, no início do mundo modelou um pouco de argila e quando já estava pronto, soprou em suas narinas o hálito da vida, dando origem ao homem, assim, também Jesus Cristo, com sua vida, com seus ensinamentos, com seus milagres, com suas atitudes, com sua Páscoa, foi modelando lentamente a Igreja, e quando já tinha cumprido sua missão, encontrou seus discípulos e “soprou sobre eles, dizendo: Recebam o Espírito Santo.” (Jo 20, 22) E a Igreja começou a viver.

Do mesmo modo que o homem ao início, sem o sopro de Deus, não passava de uma escultura de argila, até mesmo bela, mas sem vida, assim também a Igreja, sem o dono do Espírito Santo, não seria mais que uma associação humana e transitória, até com belas intenções, mas sem esta força sobrenatural que a distingue.

Do mesmo modo que o homem nasce do encontro destas duas realidades: a terrena e a espiritual (a argila e o hálito de Deus), também a Igreja nasce da interação da realidade humana dos apóstolos com o Espírito Santo de Deus. É por isso que a Igreja é humana e divina, é santa e pecadora, é realidade concreta e mistério, é esforço e providência.

Assim como nós somos uma realidade que ultrapassa a todos os animais, e por isso não se pode aplicar aos homens as regras simplesmente biológicas, porque somos corpo e espírito, também a Igreja não pode ser entendida ou descrita como uma organização a mais entre as outras, porque nela, atua o Espírito de Deus. A Igreja, corpo de Cristo, é animada pelo Espírito Santo. Daí a sua capacidade de surpreender, de vencer as provas, de atualizar-se na história.

Quando os apóstolos receberam o dom de Deus, em Pentecostes, começaram imediatamente a pregar a Boa Notícia de que a morte fora vencida, de que Deus é o Emanuel, isto é, de que Ele está conosco, vive e atua em nosso meio.

Deus não faz ninguém correr para longe do Corpo de Cristo, pelo contrário, nos enxerta nele e ali, nos convida a produzir muitos frutos.

Não devemos pensar ao Espírito Santo como se fosse um dom individualista, que vem para satisfazer somente as minhas necessidades pessoais, quando sua missão é preparar a Igreja, esposa de Cristo para as núpcias eternas.

É claro que nesta preparação sua ação deverá transformar pessoalmente a cada um de nós, ajudando-nos a superar nossos limites, consolando-nos em nossas necessidades, não segundo nossos projetos, algumas vezes mesquinhos, mas de acordo com o sonho de Deus, fazendo de nós um povo santo, um reino de sacerdotes.

Estimado irmão, por isso, é muito importante abrir-se ao dom de Deus. Ser disponível à sua ação. Permitir que ele nos transforme segundo o seu modelo: Jesus Cristo

O Senhor te abençoe e te guarde,

O Senhor faça brilhar sobre ti o seu rosto e tenha misericórdia de ti.

O Senhor mostre o seu olhar carinhoso e te dê a PAZ.

Frei Mariosvaldo Florentino, capuchinho

Videos

Testimonios

Pedidos de Oración

Actividades Conventuales