La puerta angosta

"Sforzatevi di entrare per la porta stretta, perché molti, vi dico, cercheranno di entrarvi, ma non ci riusciranno". Lc 13,24.

“Procurai entrar pela porta estreita; porque, digo-vos, muitos procurarão entrar e não o conseguirão ". (Lc 13, 24)

Hno. Mariosvaldo Florentino

Agosto - Domingo 21

"Esfuércense por entrar por la puerta angosta, porque yo les digo que muchos tratarán de entrar y no lograrán". (Lc 13, 24)

Creo que podremos interpretar bien este versículo del evangelio a partir de las experiencias de los atletas. Todos sabemos cuán difícil es que una persona llegue a ser un atleta olímpico.

Necesita una preparación extraordinaria, una dedicación muy intensa y sobre todo saber hacer muchas renuncias. Sin un gran esfuerzo personal, un espíritu decidido y mucha perseverancia es imposible soñar con el podio.

Ciertamente muchos han deseado tener esta oportunidad, pero sin estar realmente dispuestos a sudar lo suficiente, o a cambiar sus hábitos y costumbres, o aun a perseverar hasta con mal tiempo. Podríamos decir, quien quiere ser un buen atleta, debe estar dispuesto a entrar por la puerta angosta. Esta "puerta angosta" son todas las implicancias de su entrenamiento. Toda su vida estará marcada por este objetivo: horas y horas de practica (estando dispuesto a repetir muchas veces la misma cosa); una dieta alimentaria muy controlada; y renuncias a muchas diversiones (fiestas, bebidas, ciertos viajes...). Es necesaria una vida muy disciplinada sin dejarse llevar por el "cuando me dé la gana". No es suficiente tener buena intención, como tampoco se puede dejar para empezar la preparación más tarde.

La vida cristiana en muchos aspectos puede ser comparada a la vida de un atleta. San Pablo ya nos hizo esta comparación (1Cor 9, 25).También nosotros estamos invitados a entrar por la "puerta angosta". Así como el atleta tiene toda su vida determinada por su objetivo, también el seguimiento de Cristo, tiene implicancias en todos los sectores de la vida. Es justamente esto que hace al cristianismo, cuando es vivido intensamente, una "puerta angosta". Para ser un autentico cristiano no basta haber sido bautizado, o participar de alguna misa como si fuera un acto social. El camino de Cristo exige también un gran esfuerzo, perseverancia y muchas renuncias. Debemos estar dispuestos a combatir nuestras malas inclinaciones y nuestros pecados. Y esto es muy exigente. Vencernos a nosotros mismos, es la primera gran batalla de nuestra vida espiritual. Necesitamos estar realmente decididos. Tener un deseo superficial no es suficiente, pues las seducciones de la "puerta ancha" nos harán caer fácilmente. Pero no bastan las renuncias. Es necesario entrenarse con las mismas acciones de Cristo: la oración, la caridad, el perdón, la disponibilidad, la obediencia, la apertura... Quedarse solamente con las renuncias sin buscar la configuración con Cristo es estéril, no es aun cristianismo. Infelizmente hay personas que piensan que basta no cometer pecados, pero ningún atleta será vencedor solamente por dejar de hacer ciertas cosas, él necesita entrenarse.

Pero por que todo este esfuerzo? Por que buscar la puerta angosta? El atleta intenta superarse y ganar el reconocimiento de los demás, y por esta gloria, él siente que todo su esfuerzo vale la pena. El cristiano al contrario no piensa en la gloria de este mundo, su acción es respuesta al Amor de Dios. Es la fe que nos enseña que la verdadera felicidad se encuentra pasando a través de la puerta angosta, pues la puerta ancha conduce a la autodestrucción.

Hoy muchos prefieren la buena vida, los placeres, las comodidades y sin percibir están forjándose la propia ruina.

Que Dios nos ayude a caminar en su sendero, sin temer a las dificultades.

El Señor te bendiga y te guarde,

El Señor te haga brillar su rostro y tenga misericordia de ti.

El Señor vuelva su mirada cariñosa y te dé la PAZ.

Penso che si possa interpretare bene questo versetto del vangelo a partire dalle esperienze che hanno gli atleti. Tutti sappiamo quanto è difficile che una persona arrivi a competere a livello mondiale.

Ha bisogno di una preparazione straordinaria, una dedizione molto intensa e soprattutto sapere fare molte rinunce. Senza un grande sforzo personale, un spirito deciso e molta perseveranza è impossibile sognare il podi.

Certamente molti hanno desiderato di avere questa opportunità, ma senza essere realmente disposti a sudare quanto basta, o a cambiare le proprie abitudini, o nonostante a perseverare anche quando il tempo è cattivo. Potremmo dire che chi vuole essere un buon atleta, deve essere disposto ad entrare per la porta stretta. Questa "porta stretta" sono tutte le implicazioni del suo allenamento. Tutta la sua vita sarà marcata per questo obiettivo: ore ed ore di pratica (essendo disposto a ripetere molte volte la stessa cosa); una dieta alimentare molto controllata e rinunzia a molti divertimenti, feste, cene, certi viaggi.... È necessaria una vita molto disciplinata senza lasciarsi trascinare dal modo di dire "quando mi viene la voglia". E' insufficiente avere buona intenzione, così come non si può rimandare e cominciare più tardi la preparazione.

La vita cristiana, per molti aspetti, può essere paragonata alla vita di un atleta. San Paolo ci ha fatto già questo paragone nella 1Cor 9,25. Anche noi siamo invitati ad entrare per la "porta stretta". Come l'atleta ha tutta la sua vita determinata per il raggiungimento del suo obiettivo, così anche l'inseguimento a Cristo ha implicazioni in tutti i settori della vita. È giustamente questo che fa del cristianesimo, quando è vissuto intensamente, una "porta stretta". Per essere un autentico cristiano non basta essere stato battezzato o partecipare ad una qualsiasi messa come se fosse un atto sociale. Il conformarsi a Cristo esige anche un grande sforzo, perseveranza e molte rinunce. Dobbiamo essere disposti a combattere le nostre brutte inclinazioni ed i nostri peccati. E questo è molto esigente. Vincere se stessi è la prima grande battaglia della nostra vita spirituale. Dobbiamo essere realmente decisi. Avere un desiderio superficiale non è sufficiente, perché le seduzioni della "porta larga" ci faranno cadere facilmente. Ma non bastano le rinunce. È necessario allenarsi nelle stesse azioni di Cristo: le preghiere, la carità, il perdono, la disponibilità, l'obbedienza, l'apertura.... Rimanere solo con le rinunce senza cercare la configurazione con Cristo è sterile, non è ancora, nonostante tutto, cristianesimo.

Ci sono, infelicemente, persone che pensano che basta non commettere peccati, ma nessun atleta sarà conquistatore solo perché smette di fare certe cose, egli deve allenarsi.

Ma perché tutto questo sforzo? Perché cercare la porta stretta? L'atleta cerca di superarsi e guadagnare il riconoscimento degli altri, e per questa gloria egli sente che vale la pena tutto il suo sforzo. Al contrario il cristiano non pensa alla gloria di questo mondo, la sua azione è risposta all'Amore di Dio, è voglia di una vita autentica. È la fede che ci insegna che la vera felicità si trova passando attraverso la porta stretta, perché la strada lunga conduce all'autodistruzione.

Oggi molti preferiscono la buona vita, i piaceri, le comodità, e senza accorgersene si stanno costruendo la propria rovina. Che Dio ci aiuti a camminare sul suo sentiero, senza temere le difficoltà.

Il Signore vi benedica e vi protegga,

Il Signore faccia risplendere il suo viso su di voi e vi doni la sua misericordia.

Il Signore volga il suo sguardo su di voi e vi doni la sua Pace.

Penso que podemos interpretar este versículo do evangelho a partir das experiências que têm os atletas. Todos sabemos o quanto é difícil para um atleta chegar a competir a nível mundial. É necessária uma preparação extraordinária, uma dedicação muito intensa e, sobretudo, saber fazer muitas renúncias. Sem um grande esforço pessoal, um espírito decidido e muita perseverança, é impossível sonhar com o pódio.

Certamente muitos desejaram ter esta oportunidade, mas sem estar realmente dispostos a suar o suficiente, ou a mudar de hábitos e costumes, ou ainda, a perseverar mesmo diante do mal tempo. Poderíamos dizer, quem quer ser um bom atleta deve estar disposto a entrar pela “porta estreita”. Esta “porta estreita” são todas as implicações de seu treinamento. Toda a sua vida estará marcada por este objetivo: horas e horas de prática (estando disposto a repetir muitas vezes a mesma coisa); uma dieta alimentar muito controlada; e muitas renúncias a diversões (festas, bebidas, certas viagens...). É necessário levar uma vida muito ordenada sem se deixar levar pelo “Quando me der vontade”. Não baste ter uma boa intenção, como também não se pode deixar para começar a preparação mais tarde.

A vida cristã em muitos aspectos pode ser comparada à vida de um atleta. São Paulo já nos fez esta comparação (1Cor 9, 25). Também nós somos convidados a entrar pela “porta estreita”. Assim como o atleta tem toda a sua vida determinada por seu objetivo, também o seguimento de Cristo tem implicações em todos os setores da vida. É justamente isto que faz do cristianismo, quando é vivido intensamente, uma “porta estreita”.

Para ser um autêntico cristão, não basta ter sido batizado, ou participar de alguma missa como se fosse um ato social. O caminho de Cristo exige também um grande esforço, perseverança e muitas renúncias. Devemos estar dispostos a combater nossas más inclinações e nosso pecados. E isto é muito exigente. Vencermos a nós mesmos é a primeira grande batalha de nossa vida espiritual.

Necessitamos estar realmente decididos. Ter um desejo superficial não é suficiente, pois as seduções da “porta larga” nos farão cair facilmente. Mas não bastam as renúncias. É necessário treinar para praticar as mesmas ações de Cristo: a oração, a caridade, o perdão, a disponibilidade, a obediência, a abertura... Permanecer somente com as renúncias, sem buscar a configuração à Cristo, é estéril, não é ainda cristianismo. Infelizmente existem pessoas que pensam que basta não cometer pecados, mas nenhum atleta será vencedor somente por deixar de fazer certas coisas, ele necessita de treinamento. Mas para que todo este esforço? Porque buscar a “porta estreita”? O atleta tenta se superar e ganhar o reconhecimento dos demais e por esta glória ele sente que todo o seu esforço valeu a pena. O cristão, ao contrário, não pensa na glória deste mundo, sua ação é reposta ao amor de Deus.

É a fé que nos ensina que a verdadeira felicidade se encontra passando através da “porta estreita”, pois o caminho largo conduz à autodestruição.

Hoje muitos preferem a boa vida, os prazeres, as comodidades e sem perceber estão forjando a própria ruína. Que Deus nos ajude a caminhar em seu caminho, sem temer as dificuldades.

Que o Senhor vos abençoe e vos guarde.

Que o Senhor mostre a sua face e vos seja favorável!

Que o Senhor volva o seu rosto misericordioso e vos de a paz.

Videos

Testimonios

Pedidos de Oración

Actividades Conventuales